A psicoterapia breve e os seus benefícios.

0
846

Quando alguém se fere fisicamente deve prontamente realizar a devida assepsia, fazer um curativo e, às vezes, usar antibióticos para prevenir uma infecção. Tudo isso acontece automaticamente, sem questionamentos. Os mesmos cuidados deveríamos ter em relação aos machucados emocionais, aqueles que fazem doer tanto o coração.

Muitas pessoas acreditam que basta esperar para que as feridas psicológicas se curem sozinhas. Somente quem já passou por uma situação de abandono, rejeição, agonizou diante de um diagnóstico difícil ou enfrentou um fracasso, uma perda significativa sabe que as feridas emocionais podem ser tão sofridas quanto uma dor física e muito mais prolongada.

Diante das dores da alma, encontramos três tipos de pessoas:

1- as que nunca buscam ajuda;

2- as que buscam ajuda e param pelo meio do caminho;

3- as que buscam auxílio visando algum alívio para suas dores por saberem que não serão curadas com analgésicos.

Das que procuram ajuda, muitas tem se interessado por terapias de curto prazo. A questão econômica e a falta de tempo são fatores que levam as pessoas a procurar por tratamentos que não demandem longos prazos. Para o leitor menos informado sobre terapia psicanalítica pode soar contraditório a proposta de falar de terapia breve em psicanálise, porém podemos considerar Freud, pai da abordagem tradicional, como o pioneiro e questionador desta abordagem, pois muitas de suas primeiras análises tiveram duração relativamente breve. A idéia foi ganhando força a partir das proposições de técnica ativa de Ferenczi (1919), às quais Freud se posicionou favorável, afirmando que “o que importa é trazer ao conhecimento do paciente o inconsciente, os impulsos recalcados e desmascarar as resistências” (LOWENKRON, 2006).

Apesar de breve, a metodologia é tão séria e profunda quanto a das terapias convencionais e a escolha por um profissional bem capacitado é fundamental para que a queixa seja bem diagnosticada e tratada. É importante enfatizar que a prática envolve a psicoterapia verbal. O que a diferencia é o modo de abordagem do problema e alguns métodos utilizados, sendo possível acrescentar técnicas complementares, como a eletrossonoterapia. Trata-se de um aparelho utilizado em consultório, que emite vibrações de ondas eletromagnéticas de níveis e intensidades apropriadas, equilibrando as conexões cerebrais. Os benefícios são percebidos desde a primeira sessão. É Indicado para as sobrecargas emocionais, depressão, luto, ansiedade, insônia, angústia, fobias, TPM, dificuldade de aprendizagem, etc.

Desfrutar de uma terapia é uma experiência que permite o acesso a novas chances de obter uma melhora significativa na qualidade de vida. É como descobrir que a felicidade (na) mora conosco, apesar dos desafios que a vida nos impõe, e, diante desse despertar, a esperança e a alegria encontram permissão para brotar, florir e compartilhar seus doces frutos em nossas vidas.

Comentários no Facebook