BARCO CISNE BRANCO VOLTA A FLUTUAR

0
1176

Com o resgate superado, a embarcação deve retomar as atividades em 27 de setembro de 2016 – Dia Mundial do Turismo

cisne nApós 58 longos dias de intenso trabalho, envolvendo engenheiros, técnicos, funcionários e colaboradores, neste domingo, dia 27 de março de 2016, o Barco Cisne Branco voltou a flutuar. O processo de resgate foi muito trabalhoso e por diversas vezes, por motivos que fugiam ao controle da equipe (peso da embarcação, ventos, cintas rompidas, dentre outros) os trabalhos foram se prolongando, sempre com a intenção de preservar ao máximo a estrutura do casco da embarcação.  Adriane Hilbig, proprietária do Barco explica que “embora o tempo para a reflutuação tenha sido muito longo em função dos cuidados, todo o esforço valeu a pena. O casco não foi comprometido e a reconstrução do Barco será mais rápida”.  

Esta etapa teve o seu custo estimado em R$ 950 mil reais e, conforme Adriane, os valores já estão sendo negociados com as empresas envolvidas. “O apoio dos parceiros está sendo fundamental neste processo”, assume. O próximo passo do processo é a avaliação dos prejuízos e o projeto de reconstrução da embarcação. A previsão é de que em, no máximo, duas semanas, a embarcação seja rebocada até um estaleiro na região carbonífera do Estado para iniciar a reconstrução da estrutura (casco e parte interna).

 A direção do Barco aproveita a vitória desta etapa vencida e anuncia: “O Cisne Branco deve retomar suas atividades no dia 27 de setembro de 2016, dia em que se comemora O dia Mundial do Turismo”.

 

Seguro

 Sobre o seguro da embarcação, Adriane esclarece que o Barco possui o seguro de responsabilidade civil, com apólice que cobre todos os danos pessoais, o que, por sorte, não será utilizado. Já o seguro patrimonial pelas características do Cisne, não existe. “A embarcação foi construída em 1978 e  as seguradoras não cobrem esse tipo de patrimônio”. A empresária ainda ressalta que “nestes 38 anos de atividades em nenhum momento foi necessário acionar o seguro existente.” Também informa que todas as despesas de resgate e reconstrução da embarcação serão suportadas pela Empresa Orgatur com recursos próprios, linhas de financiamento, além de várias parcerias já identificadas nesta etapa de reconstrução.

Agradecimentos

 A direção do Barco Cisne Branco faz um agradecimento público a todas as pessoas envolvidas no processo de reflutuação, que não mediram esforços para que esta etapa fosse concluída. Adriane também ressalta a importância da população porto-alegrense, que, neste momento difícil, demonstrou todo seu apoio de diversas formas. Ora tornando público suas histórias a bordo, ora explicitando a importância da embarcação para o turismo do Rio Grande do Sul. “Fico muito emocionada pensando em como o Cisne Branco está vinculado a história da Cidade e, desde já, quero retribuir o carinho de todos: na primeira semana da nova etapa a população poderá realizar os passeios de forma gratuita, afinal estaremos devolvendo o Cisne Branco para os porto-alegrenses”, diz Adriane.

Mariângela Amorim

Comentários no Facebook