Conheça Holambra, a cidade mais holandesa do Brasil

0
2033
Cidade das flores.

O charme e colorido das flores somados às tradições holandesas levam aproximadamente um milhão de pessoas até Holambra anualmente, tanto brasileiros quanto internacionais. O estilo holandês está presente por toda a parte, desde a gastronomia, símbolos, arquitetura, danças folclóricas, o uso da língua e no tradicional hábito de andar de bicicleta.
Fundada em 1991 o município esbanja beleza por conta do cultivo de flores e os traços da arquitetura europeia trazidos pelos imigrantes e tem em seu nome a junção de “Holanda”, “América” e “Brasil” em homenagem aos seus colonizadores. Além de muito charme e contato com a natureza, é um local com tradições europeias.
Conhecida como a Cidade das Flores, Holambra é encantadora ao turista logo na sua chegada a cidade, o portal, as casas coloridas e os moinhos garantem um ar europeu à cidade. Os primeiros holandeses chegaram em junho de 1948, logo após a Segunda Guerra Mundial que havia devastado a Europa. O grupo se estabeleceu na Fazenda Ribeirão, fundando a Cooperativa Agropecuária da Holanda. O nome Holambra nasceu das iniciais HOL (de HOLanda), AM (de AMérica), e BRA (de BRAsil).
A influência holandesa está presente nos tamancos de madeira (confeccionados artesanalmente), na tulipa (flor símbolo da comunidade), nas roupas típicas usadas nas festas tradicionais, nas danças e gastronomia típicas. O turista que vai à Holambra faz uma viagem verdadeira viagem pela cultura holandesa.

Moinhos que remetem ao clima europeu.
Moinhos que remetem ao clima europeu.

Uma das principais atrações é o Moinho dos Povos Unidos. Com 38,5 metros de altura, é o maior da América Latina. O projeto foi elaborado pelo arquiteto holandês Jan Heidra e é uma cópia fiel dos tradicionais moinhos holandeses. Os moinhos são utilizados na Holanda desde o século 14 para bombear água da terra abaixo do nível do mar e conquistar mais terreno mar adentro. Também são usados para moer grãos e preparar cerâmica.
Uma excelente dica de passeio são as visitas às fazendas produtoras de flores ou campos de rosas. A Flora Diamante, uma propriedade de agricultura familiar voltada para a produção de gérberas em vasos e plantas ornamentais, permite ao visitante conhecer o processo produtivo de flores e plantas em estufas. Você vai se encantar com os mais variados tipos e cores da flor.
Outra propriedade rural típica aberta à visitação é o Rancho da Cachaça. O local tem pomar, horta orgânica e animais. Ali é possível ver de perto o processo de produção artesanal de cachaça. Além disso, o turista também pode revelar seus dotes culinários pilotando um fogão a lenha ou fazer passeios de trator pela propriedade.
Para quem quer curtir a natureza, Holambra oferece diversas opções tanto para crianças como adultos. No sítio Estrela do Leste Arurá, credenciado pelo Ibama, é possível encontrar resquícios de Mata Atlântica e uma grande variedade de animais silvestres como jacaré de papo amarelo, jiboias em cativeiro, criação de roedores e mini coelhos. As visitas são monitoradas.
Outra opção é o Parque Lindenhof, um mini sitio instalado numa área de 56 mil metros quadrados. No local, podem ser vistos animais de campo, plantas e flores em produção, galeria de imagens da Holanda, jardins tropicais com mini papagaios e borboletas. Há, ainda, um trenzinho para passeio turístico pelo parque.
A principal festa da cidade é a Expoflora, que acontece durante o mês de setembro. A primeira edição foi realizada em 1981 e atraiu mais de 12 mil pessoas em um único final de semana. Hoje o evento se transformou na maior manifestação cultural da imigração holandesa e é considerado como a maior festa de flores e plantas da América Latina.
Outra festa bastante aguardada é a Festa do Divino Espírito Santo, promovida pela paróquia local em agosto. O ponto alto é a Romaria de Cavaleiros que reúne mais de três mil pessoas.

Arquitetura de Holambra.
Arquitetura de Holambra.

Se você quiser conhecer um pouco da história desse município que foi emancipado em 1991, vá até o Museu Histórico e Cultural. O acervo reúne imagens e objetos dos primeiros imigrantes holandeses, réplicas de casas da época, tratores e máquinas e até móveis.
O salão onde estão expostas cerca de duas mil fotos ganhou o nome de Wilhelmus Albertus Bernardus Welle, um dos primeiros a chegar à antiga Fazenda Ribeirão. O imigrante desembarcou na cidade com uma máquina fotográfica do tipo “caixão”, e registrou imagens de todo o processo de colonização holandesa em Holambra.
Estância turística localizada a 140 quilômetros da Capital paulista, existem duas opções para chegar à Holambra. Pela via Anhanguera, siga até o Km 86 (indicado na placa como Saída 86). Depois, preste atenção para as placas que indicam Mogi Mirim. Na Rodovia SP-340 haverá placas indicando o município de Holambra. Antes de sair de casa, você pode conferir como como está o trânsito nas estradas, acesse os sites da Secretaria Transportes (http://www.transportes.sp.gov.br) e do DER (http://www.der.sp.gov.br). O internauta pode ver o fluxo graças às 33 câmeras espalhadas pelo Estado que transmitem imagens em tempo real.

Fotos: www.saopaulo.sp.gov.br.

Comentários no Facebook