Conheça Montevidéu, um lugar onde tudo encanta e revigora a alma

0
713

A simpática capital do Uruguai é charmosa e acolhedora, com um certo ar europeu, cara de cidade grande com a tranquilidade de cidade do interior. Os uruguaios têm duas paixões, futebol e mate, e é muito comum vê-los andando para cima e para baixo com uma garrafa térmica debaixo do braço e a cuia de chimarrão nas mãos.

O centro histórico de Montevidéu é o berço de inovações gastronômicas e culturais, com eventos de moda, dança, música e artes plásticas. O Rio da Prata, que separa essa capital da vizinha Buenos Aires, é vasto o suficiente e brilhante o bastante para que tenha se impregnado no cotidiano e na alma dos 1,5 milhão de uruguaios que aqui vivem.

A partir do celeste de seu rio-mar, a cidade se espraia para outros matizes. Para o verde dos bairros incrivelmente arborizados, para o colorido de um Carnaval que se caracteriza como “o mais longo do mundo”, já que dura 40 dias, entre janeiro e março, e para o azul profundo de noites que prometem ser sem fim.

Hospitaleira, tranquila, a capital do Uruguai se move calmamente e em seu próprio ritmo. O centro e os principais bairros estão interligados por pequenas distâncias que, com um pouco de disposição, podem ser percorridas por vias que facilitam a caminhada.

Pelas ruas, o “mate” (chimarrão) se destaca na paisagem, companheiro que é de muitos pedestres, especialmente ao cair da tarde. Com o calor que destila das bem cuidadas cuias de couro, ajuda a equilibrar os efeitos do onipresente vento fresco da cidade, que a todo momento não deixa esquecer que essa é a mais austral das capitais do continente.

Quando as luzes artificiais se acendem, aí é quando Montevidéu acorda de fato. A cidade então pode surgir cinza e escarlate, tingida pela melancolia do bandoneon, a evocar a nostalgia dos tempos de prosperidade desse outrora centro da “Suíça da América Latina”, ou a embalar as apaixonadas narrativas que mantêm o respeito ao tango como o mais forte traço de união entre as distintas gerações de uruguaios.

Mas a cidade, apesar de reverenciar suas tradições, não vive do passado. O centro histórico de Montevidéu, a Ciudad Vieja é o berço de inovações gastronômicas e culturais, com eventos de moda, dança, música e artes plásticas a cada esquina. Também aí está a maior concentração de “boliches” (casas noturnas) e, consequentemente, o bairro é o epicentro da juventude local, que lotam as calçadas coloniais aos fins de semana.

Sutil e sedutora, a pequena, elegante Montevidéu guarda múltiplos encantos que vai revelando sem pressa, tal qual uma Mona Lisa que, sorridente e caprichosa, contempla o mar. Montevidéu, a beleza de uma cidade hospitaleira e acolhedora! Fotos: Camille Panzera

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGabriela Cola Grau
Próximo artigoAndressa é Pedagoga.
Jornalista - Mtb – 11.972 leciaribel@terra.com.br Fone: 05130325850 Canoas/RS

Comentários no Facebook