Eleição ganha

0
787

Vivo pensando e analisando política. Geralmente sou contra, acredito que tenha algo não resolvido nesta área, sei lá. Nesta busca me deparo a relembrar de quando tinha por volta de sete anos: Vivia em Cachoeira do Sul, minha terra natal, e fui com meu pai a um comício na Barragem do Capané. O comício era do então candidato a Vice – Presidente da Republica o Sr. João Goulart e do candidato a Governador do Estado do Rio Grande do Sul, o Sr. Leonel de Moura Brizola. Fomos de carona na carroça do padeiro, seu Paulo.  Levamos em torno de 4 horas. Ao chegar meu encantamento e espanto foi inesquecível, nunca tinha visto tanta gente junto e com tanto entusiasmo. Mas o melhor estava por vir, coisa que nunca saiu de minha mente, a chegada dos candidatos. Chegaram de avião teco-teco. Antes de aterrissar o avião deu duas voltas lançando milhões de santinhos em cima da multidão que aos empurrões disputavam quem recolhia mais. Desembarcaram todos bem vestidos, engravatados, sorridentes e abanando para o povo. Seguiram por um corredor separados por cordas, cumprimentando e abraçando os eleitores, nos quais, notavam-se em seus rostos as expressões de contentamento e alegria de poder receber comprimentos daqueles que julgavam serem as melhores e mais admiradas pessoas. Eram candidatos que ofereciam em suas plataformas, acima de tudo, trabalho e honestidade, de uma maneira quase que heroica.   Meu pai, como a maioria dos gaúchos desta época, tinha verdadeira adoração pela política e em especial por esses candidatos. Por eles seriam capazes de ir à guerra. Penso que este comício tenha gravado em demasia em minha mente os princípios engrandecidos e esperados dos políticos da época, principalmente por parte da população do nosso estado. Hoje sei que não era bem assim, que muitos interesses rondavam os candidatos, talvez em menor escale, mas com certeza muito parecidos e de mesma origem que os do dia de hoje. Atualmente, claramente acima dos princípios que na época podiam decidir uma eleição, esta o poder econômico ao qual o candidato vencedor geralmente se associa, seja ele regional nacional e até internacional. Em termos gerais da para dizer antecipadamente o resultado de uma eleição através dos acordos que o candidato fez com as entidades representativas e principalmente com os grupos econômicos. Certo ou errado estas são as evidências que se constata. Se você esta interessado em se candidatar e ver como é o mundo dos políticos, não tem alternativa, se não tiver recursos terá que busca-los. O seu perfil como candidato, lógico, se ajudar um pouquinho é eleição ganha.

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCLIMA ITALIANO NA AABB
Próximo artigoCada um com seu cada qual!
Círio Dutra Administrador de Empresas Escritor

Comentários no Facebook