Neonatologistas debatem desafios no atendimento de alterações do Teste do Pezinho.

0
71

Neonatologistas debatem desafios no atendimento de alterações do Teste do Pezinho.

Representantes das 43 Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal do Rio Grande do Sul e pediatras que também atendem por convênio privado participaram, nesta sexta-feira (14/09), do Encontro de Neonatologia: Triagem Neonatal. O evento teve como objetivo debater os desafios e dificuldades de atendimento em casos de alteração no teste do pezinho. “O SUS conta com uma estrutura de busca ativa do bebê para o imediato atendimento quando o exame do recém-nascido aponta alguma modificação, nos demais serviços de saúde ainda não há um fluxo de atendimento e tratamento a estes casos. Muitas vezes, o profissional precisa tomar uma decisão rápida pois há doenças em que o tratamento deve iniciar nos primeiros quinze dias de vida”, explicou a 2ª tesoureira da SPRS e coordenadora do evento, Celia Magalhães.

A médica relata que, anualmente, nascem em média, 140 mil crianças no Estado, destas, 110 mil são atendidas pelo SUS enquanto as demais são por convênio e serviços particulares. O desafio, portanto, é inserir estes pacientes dentro de uma Política Conjunta de Triagem Neonatal no RS.

Para garantir que o debate atendesse todas as áreas envolvidas, também foram convidados todos os laboratórios que fazem o Teste do Pezinho de forma privada.

Comentários no Facebook