X Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessões

0
207

Com um recorde de 950 participantes de 23 estados brasileiros, Distrito Federal e países do Mercosul, o X Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessões comprovou ser o maior evento anual da área no Brasil. Do início da tarde de sexta-feira, 8, até o final do dia de sábado, foram realizados, no Hotel Serra Azul, em Gramado, na Serra gaúcha, seis painéis, seisworkshops, uma mesa interativa – novidade desta edição – e duas conferências temáticas, reforçando principalmente a importância de conciliar e aproximar cada vez mais o Direito de Família e a Psicologia.

Na tarde de sexta-feira, duas atividades ganharam destaque. A primeira, até então inédita, chamou a atenção pelo aspecto da inovação. A mesa interativa em que o advogado Bráulio Pinto e a professora Simone Tassinari dividiram o palco em um debate sobre “Sucessão do companheiro após o julgamento da Repercussão Geral 809 pelo STF” convidou a plateia por diversas vezes a opinar sobre suas divergências. Por meio de um aplicativo criado especialmente para o Congresso, os participantes presentes tinham uma votação aberta pelo celular durante 30 segundos e, logo depois, o resultado da enquete aparecia no telão, com o número de votos e respectivos percentuais.

Mais tarde, no encerramento dos trabalhos do primeiro dia, a escritora gaúcha Lya Luft deu um show de simplicidade e qualidade de conteúdo ao falar sobre “Família em Transformação”. Ao contar suas experiências de mãe e avó, ela contextualizou aspectos do Direito de Família no ambiente geral em que vive o País atualmente, referindo-se às transformações pelas quais passam o ambiente familiar e expondo suas próprias inquietações como alguém que tem uma atenta visão sistêmica da sociedade.

No início das atividades de sábado, o painel sobre “Constelação Familiar” lotou o auditório pontualmente às 9h. As explicações sobre como funciona a técnica criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger aplicada à conciliação no Direito de Família e, principalmente, um exercício prático de demonstração da técnica sensibilizaram a todos, levando às lágrimas dezenas de pessoas na plateia.

No fim do dia, as duas últimas palestras da programação terminaram com o auditório aplaudindo de pé as apresentações realizadas. Ao promotor de Justiça baiano Cristiano Chaves de Farias coube tratar sobre os maiores desafios no estabelecimento de um novo sistema jurídico, inaugurado com o advento do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei Federal nº 13.146/2015). Já a Conferência de Encerramento, um dos momentos mais aguardados do evento, ficou a cargo da juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Andréa Pachá, autora do livro “A vida não é justa”, que inspirou a série “Segredo de Justiça” no Fantástico, da TV Globo. Andréa falou muito da importância do amor acima do direito e das leis na solução dos conflitos familiares, enfatizando a conscientização das diferenças fundamentais entre a vida que se vê habitualmente nas redes sociais e a vida real.

Com o encerramento do Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessões, o advogado e professor Conrado Paulino da Rosa, presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família – Seção Rio Grande do Sul (IBDFAM/RS), aproveitou a oportunidade para convidar a todos para o V Congresso Gaúcho de Direito de Família e Sucessões, a ser realizado nos próximos dias 19 e 20 de outubro, em Bento Gonçalves (RS), e para a 11ª edição do Congresso do Mercosul, já programado para junho de 2019, em Gramado.

Sessão solene de abertura

Em seu discurso de boas-vindas, o presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família – Seção Rio Grande do Sul (IBDFAM/RS) e coordenador do Congresso, Conrado Paulino da Rosa, afirmou que os trabalhos a serem desenvolvidos na Serra Gaúcha terão uma dimensão ainda maior do que os dois dias de evento. “Nosso objetivo é pensar em conjunto novas intervenções no Direito de Família e Sucessões e deixar uma obra de registro sobre o que aqui foi feito”, destacou.

Além do presidente do IBDFAM/RS, integraram a mesa da sessão solene de abertura a vice-presidente do IBDFAM/RS, Delma Silveira Ibias; o prefeito de Gramado, João Alfredo de Castilhos Bertolucci; o diretor nacional do IBDFAM, Rolf Madaleno; o juiz de Direito Vancarlo André Anacleto, representando a Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris); a presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul (Adpergs), Juliana Coelho de Lavigne; a registradora civil Joana Malheiros, representando o Sindicato dos Registradores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul (Sindiregis); o presidente da Associação Brasileira Criança Feliz, Sérgio de Moura Rodrigues; o desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJRS) Ricardo Moreira Lins Pastl e a representante do Instituto Proteger Clarice Fátima Marinheiro.

Com inscrições esgotadas, X Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessõesconsagra-se o maior evento anual da área no BrasilCom um recorde de 950 participantes de 23 estados brasileiros, Distrito Federal e países do Mercosul, o X Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessões comprovou ser o maior evento anual da área no Brasil. Do início da tarde de sexta-feira, 8, até o final do dia de sábado, foram realizados, no Hotel Serra Azul, em Gramado, na Serra gaúcha, seis painéis, seis workshops, uma mesa interativa – novidade desta edição – e duas conferências temáticas, reforçando principalmente a importância de conciliar e aproximar cada vez mais o Direito de Família e a Psicologia.Na tarde de sexta-feira, duas atividades ganharam destaque. A primeira, até então inédita, chamou a atenção pelo aspecto da inovação. A mesa interativa em que o advogado Bráulio Pinto e a professora Simone Tassinari dividiram o palco em um debate sobre “Sucessão do companheiro após o julgamento da Repercussão Geral 809 pelo STF” convidou a plateia por diversas vezes a opinar sobre suas divergências. Por meio de um aplicativo criado especialmente para o Congresso, os participantes presentes tinham uma votação aberta pelo celular durante 30 segundos e, logo depois, o resultado da enquete aparecia no telão, com o número de votos e respectivos percentuais.Mais tarde, no encerramento dos trabalhos do primeiro dia, a escritora gaúcha Lya Luft deu um show de simplicidade e qualidade de conteúdo ao falar sobre “Família em Transformação”. Ao contar suas experiências de mãe e avó, ela contextualizou aspectos do Direito de Família no ambiente geral em que vive o País atualmente, referindo-se às transformações pelas quais passam o ambiente familiar e expondo suas próprias inquietações como alguém que tem uma atenta visão sistêmica da sociedade. No início das atividades de sábado, o painel sobre “Constelação Familiar” lotou o auditório pontualmente às 9h. As explicações sobre como funciona a técnica criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger aplicada à conciliação no Direito de Família e, principalmente, um exercício prático de demonstração da técnica sensibilizaram a todos, levando às lágrimas dezenas de pessoas na plateia.No fim do dia, as duas últimas palestras da programação terminaram com o auditório aplaudindo de pé as apresentações realizadas. Ao promotor de Justiça baiano Cristiano Chaves de Farias coube tratar sobre os maiores desafios no estabelecimento de um novo sistema jurídico, inaugurado com o advento do Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei Federal nº 13.146/2015). Já a Conferência de Encerramento, um dos momentos mais aguardados do evento, ficou a cargo da juíza do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Andréa Pachá, autora do livro “A vida não é justa”, que inspirou a série “Segredo de Justiça” no Fantástico, da TV Globo. Andréa falou muito da importância do amor acima do direito e das leis na solução dos conflitos familiares, enfatizando a conscientização das diferenças fundamentais entre a vida que se vê habitualmente nas redes sociais e a vida real.Com o encerramento do X Congresso do Mercosul de Direito de Família e Sucessões, o advogado e professor Conrado Paulino da Rosa, presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família – Seção Rio Grande do Sul (IBDFAM/RS), aproveitou a oportunidade para convidar a todos para o V Congresso Gaúcho de Direito de Família e Sucessões, a ser realizado nos próximos dias 19 e 20 de outubro, em Bento Gonçalves (RS), e para a 11ª edição do Congresso do Mercosul, já programado para junho de 2019, em Gramado.Sessão solene de aberturaEm seu discurso de boas-vindas, o presidente do Instituto Brasileiro de Direito de Família – Seção Rio Grande do Sul (IBDFAM/RS) e coordenador do Congresso, Conrado Paulino da Rosa, afirmou que os trabalhos a serem desenvolvidos na Serra Gaúcha terão uma dimensão ainda maior do que os dois dias de evento. “Nosso objetivo é pensar em conjunto novas intervenções no Direito de Família e Sucessões e deixar uma obra de registro sobre o que aqui foi feito”, destacou.Além do presidente do IBDFAM/RS, integraram a mesa da sessão solene de abertura a vice-presidente do IBDFAM/RS, Delma Silveira Ibias; o prefeito de Gramado, João Alfredo de Castilhos Bertolucci; o diretor nacional do IBDFAM, Rolf Madaleno; o juiz de Direito Vancarlo André Anacleto, representando a Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris); a presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul (Adpergs), Juliana Coelho de Lavigne; a registradora civil Joana Malheiros, representando o Sindicato dos Registradores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul (Sindiregis); o presidente da Associação Brasileira Criança Feliz, Sérgio de Moura Rodrigues; o desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (TJRS) Ricardo Moreira Lins Pastl e a representante do Instituto Proteger Clarice Fátima Marinheiro.Saiba maisO IBDFAM/RS é uma instituição político-científica, sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover a efetivação de um novo ambiente jurídico no País, adequado às necessidades e realidade da sociedade contemporânea. Desde sua fundação, em 1998, o IBDFAM/RS atua com diversos setores da sociedade, tornando-se fonte legítima de representação na área do Direito de Família no Estado. O Instituto atua também na proposição de alterações legislativas, sendo o responsável pela redação, entre outras, da Emenda Constitucional nº 66/2010, que facilitou o procedimento do divórcio no Brasil.

Assessoria de Imprensa IBDFAM/RS: r&a comunicaçãoAtendimento: Cibele Avendano – Roberto Alves d’Azevedo –Cristina Rispoli d’Azevedo.

Fotos Studio Conci.

Comentários no Facebook